Peça à Terça – À Costura das Ideias

(Este artigo foi escrito em parceria com o Blog Costurartis de autoria de Joana Ferreira)

Já viram os preços da roupa hoje em dia? Não há loja, armazém ou supermercado em que não nos salte a tampa com o que nos fazem pagar por meia-dúzia de trapos. Saímos pouco satisfeitas com o preço e muitas vezes, apesar do preço, a qualidade do tecido acaba por mostrar a sua raça, deixando-nos ainda mais frustradas. Este curioso “fenómeno” (à falta de melhor palavra), também se verifica na roupa de criança e na roupa de homem. Não quer dizer que não haja por aí roupa bem decente a preços módicos, mas acabamos por nos perguntarmos se não seria melhor tratarmos do assunto com as nossas mãos… literalmente!

Não quer dizer com isto que advogue que a partir de agora terá de fazer toda a sua roupa à mão! Hoje em dia, tendo em conta o rame-rame do dia-a-dia, é quase impossível propormos-nos essa tarefa titânica e hercúlea. Pode, no entanto, fazer uso dos seus dotes de costura (e se não os tem pode sempre adquiri-los em workshops deste tipo) e recriar o seu vestuário, remendar umas calças, subir umas bainhas, aproveitar pedaços de tecido para criar bolsinhas e muitos outros acessórios que pouco a pouco vão enchendo a sua casa de cor e a sua carteira ficará rejubilante!

Nesta Terça e nas seguintes queremos dedicar-nos a uns conselhos para poder criar ou reinventar o seu cantinho de costura e também trazer-lhes algumas ideias para aproveitar tecido.

No princípio era o verbo… e o verbo é organizar! Antes das ideias, vamos organizar o espaço onde as mesmas tomarão forma. O nosso objectivo é criar um espaço prático e acessível, onde os tecidos, as linhas, a máquina e a sua postura tenham um espaço próprio. Eis os conselhos desta semana:

Configure o seu espaço

1. Decida de antemão o que vai ter no seu espaço, o que lá vai fazer, quantas vezes irá utilizá-lo e o que pode trazer para o mesmo: estantes velhas, caixas grandes de plástico ou esferovite, sapateiras, mesas de camilha, carrinhos, etc.

2. De preferência arranje um cantinho da casa que tenha também luz natural – é importante que vá conferindo como são as cores de cada tecido e de cada peça enquanto as trabalha à luz do dia (e só lhe vai fazer bem apanhar uns banhinhos de sol).

3. Tenha em conta que este espaço não a pode isolar do resto da casa, dependendo das horas que lá irá trabalhar (embora seja sempre aconselhável que seja um local mais tranquilo onde possa ter a concentração e sossego devidos) – deverá poder atender o telefone e ver quem lhe está a tocar à porta, por exemplo.

4. Arranje um espacinho para as suas pausas, com ou sem televisão e definitivamente com livros, almofadas e uma mesinha com algumas bolachinhas e uma garrafa de água (ingredientes da merendinha à escolha do freguês, claro) – em qualquer trabalho existe a chamada recompensa dos 15 minutos e o seu corpo agradece.

5. Arranje um banco giratório bem confortável, que a mantenha numa postura saudável mas que lhe permita movimentar-se amplamente.

6. Um bom relógio de parede, bem visível é essencial em qualquer local de trabalho e o seu cantinho de costura não é excepção – na Ikea também encontra muitos e bons a preços baratinhos!

7. Se pretende transformar a sua actividade num negócio ou fizer muitos trabalhos para familiares e amigos que tenham que fazer provas em sua casa, convém arranjar uma salinha ou um cantinho com cortina para essas provas – uma casa de banho adequadamente preparada também faz o mesmo efeito.

8. Pense sempre num espaço no seu cantinho para guardar as suas criações – uma estante ou simplesmente um varão entre duas estantes podem servir para esse efeito, dependendo do volume – um armário de roupa de parede que esteja disponível, por exemplo, é uma boa solução;

9. Lembre-se da organização das zonas de trabalho – mantenha perto de si o que usa com maior frequência ou tudo o que precisa para o projecto em questão e mais distante tudo o que não usa com tanta frequência.

10. Invente um espacinho para a criançada no seu cantinho da costura: quer tenha filhos ou sobrinhos que a visitem com frequência, não vale a pena tapar o sol com a peneira, eles vão com certeza ter assaz curiosidade para querer descobrir o que afinal de contas anda a fazer com tanta linha e tanto tecido – uma mesinha, umas cadeirinhas (vá ao Ikea, lá tem soluções que cheguem e sobejem) e uma caixinha de costureirinha (leia-se caixa de sapatos pintada e decorada com botões e uma etiqueta bem carregada de purpurinas a dizer “Caixinha da Costureirinha”) e faz a festa a qualquer menina ou menino, com o bónus extra de conseguir mantê-los ao seu lado enquanto costura.

Por hoje é tudo! Na próxima Terça mais 10 Conselhos para o seu cantinho de costura!

Boa Terça e Boas Costuras!

About the Author:

Decidida, perseverante e viciada em desafios, mãe de 3 filhotes e esposa de italiano, a Rita é também, nas horas vagas, licenciada em Línguas e Literaturas Clássicas e Portuguesas, um curso que, indirectamente, a impulsionou a descobrir o mundo, ainda inexplorado, dos dispositivos médicos e da criopreservação de células estaminais, onde exerceu um papel de relevância no apoio logístico. Teve desde cedo o bichinho da organização, com a mania de querer sempre melhorar tudo e encontrar soluções para toda a gente e foi nesses dois âmbitos dos serviços médicos que começou a perceber que havia ali algum padrão reconhecível e caminho a singrar. Acabou a seguir o trilho de Professional Organizer, profissão ainda desconhecida em território português, fez formação nos Estados Unidos e tornou-se numa das POs pioneiras em Portugal, com formação certificada pela NAPO (National Association of Professional Organizers) da qual é também membro. Já andou pelo Consulado de Itália no Porto e pelo ramo imobiliário, mas é na OrganiGuru, a escrever o seu blog de ideias de organização (OrganiBlog) e a ajudar clientes a organizarem-se melhor que a Rita se sente como peixe dentro de água. Perita também na gestão de projectos e pessoal, nos seus tempos livres adora viajar e aprender novas línguas, deixar no perfil do FB as mil e uma ideias que lhe passam pela cabeça, resolver o cubo de Rubik 3x3 (quase) em apneia e aventurar-se pelo mundo da pastelaria, a sua catarse e terapia pessoal, sobretudo se envolver chocolate com 70% de sólidos de cacau. E uma cervejinha artesanal.

Leave A Comment

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.