Casamento organizado, Casamento abençoado

Maio abre oficialmente a época de caça ao noivo/noiva e pinta-se de branco. Um pouco por todo o país as quintinhas e salões começam a enfeitar-se e a encher-se de flores, de música e sente-se no ar o cheiro dos pasteis miniatura dos aperitivos e das velas.

Já todos ou todas passámos por este tipo de situações: recebemos o convite, lemos os detalhes, imaginamos o sítio e quase de imediato vislumbramos o nosso vestido, os nossos sapatos, a nossa pochete e começamos mentalmente a preparar-nos para o evento.

O sentimento de festejo e celebração é quase palpável e entramos numa espécie de ritual em que vestimos o corpo e preparamos o coração e inevitavelmente… a carteira!

Com a nossa rotina diária, é muito fácil que releguemos para segundo plano a preparação para o casamento da amiga, do irmão ou da prima e acabamos por cair em más escolhas por falta de tempo, por falta de orçamento ou por falta de alternativas.

Por esse motivo convém de imediato delinear um plano que lhe permita ter tempo para procurar com calma tudo o que precisa, ao melhor preço. Afinal de contas é só um dos convidados. Imagine o que seria se fosse a noiva.

Conte com pelo menos 60 dias para conseguir resolver tudo. Se conseguir ficar com tudo pronto 15 dias antes do casamento melhor.

Photo_Eval_Sheet(pp_w665_h443)

Primeiro passo: Avaliar

Primeiro de tudo, faça uma lista do que tem e do que precisa. Precisa de um vestido ou não?
Vai usar sapatos ou sandálias? Écharpe? Meias?

Inclua todos os membros da sua família nuclear que vão consigo. A vestimenta do seu marido poderá ser preparada por ele (até porque normalmente é mais fácil), mas se tiver filhos terá também que fazer o mesmo raciocínio para eles.

Veja também a previsão do tempo: de nada lhe vale escolher as toilettes se não sabe ainda que tempo irá estar. Poderá ser a diferença entre usar uma écharpe ou um casaco.

Depois de avaliar exaustivamente tudo o que tem e o que falta, faça uma lista por pessoa. Nessa lista coloque o nome do item, a cor, o tamanho, se já o tem ou se o precisa de o comprar e onde. Coloque também o preço.

wedding-timeline

Segundo passo: Prever

Se estiver a pensar colocar um par de sapatos que lhe fica a matar mas que poderão ser complicados para dançar, porque não trazer outro par de sapatos num saquinho à parte para a pista de dança?

Da mesma forma, se houver previsão de tempo mais frio para o final da noite, será melhor trazer um casaco à parte. O mesmo se poderá aplicar à roupa dos seus filhos. Normalmente gosto de vestir os meus filhos por camadas de modo a que possam estar prontos para qualquer tipo de clima, sobretudo em época de meia-estação que como sabemos tanto pode significar um sol estupendo com uma tromba de água repentina. Previna-se.

Se vai usar meias de lycra/vidro que possam não durar a dia/noite, convém trazer consigo um segundo par de meias, para qualquer acidente que possa acontecer.

compare_medicare_supplement_plans

Terceiro passo: Comparar

Já temos a lista, já pensámos e repensámos o nosso plano b. Agora está na altura de comparar preços e procurar o que precisa de acordo com a sua lista. Comece por procurara lojas online na internet: não porque vai comprar o que precisa através da net (a não ser que tenha uma boa relação de confiança com a loja e tempo, desaconselho) mas para ver de antemão os modelos existentes, o preço dos mesmos, promoções em vigor e, sobretudo, onde ficam as lojas.

De nada vale andarmos a deambular pelas lojas à procura do que queremos se não sabemos à partida o que têm a oferecer. Hoje em dia há efectivamente lojas online que nos dão uma boa amostragem do que existe à venda nas lojas físicas. O que é que poupa? Tempo, viagens de carro, chatices.

Depois de comparar preços (ligue para as lojas a confirmar) e de seleccionar as lojas que pretende visitar, planeie a viagem até às mesmas. Se conseguir que haja essas mesmas lojas perto do seu trabalho ou perto da sua casa melhor. E se conseguir resolver mais de 2 items da sua lista numa só tarde, merece um prémio!

Normalmente a zona da baixa nas cidades costuma ter uma boa mistura de lojas, onde poderá encontrar tudo o que precisa, o que não invalida a procura antecipada pela internet.

Não se esqueça das promoções!

54eba365d671a_-_trying-on-red-dress-xl

Quarto passo: Experimentar

Se está a fazer um investimento em vestuário e sabe que vai gastar mais do que costuma gastar no seu dia-a-dia, convém que esse investimento seja duradouro. De nada lhe vale comprar um vestido que só dá mesmo para aquela ocasião ou sapatos tão desconfortáveis que só dá mesmo para estar em pose. Invista em vestuário e calçado que poderá repetir ou noutros casamentos ou em eventos formais.

E experimente sempre tudo, várias vezes. Se alguma coisa destoar ou tiver aquela sensação estranha que o vestido ou o par de sapatos não é para si, não leve. Poderá até usá-los no casamento mas garanto-lhe que não irá usar mais vezes. Se for preciso algum arranjo, tenha já à mão um contacto que o faça de forma rápida, bem e económica.

Se o que tiver previsto afinal não serviu, ficou mal ou simplesmente não é o que estava à espera, não desespere. Se começou esta senda dentro do prazo referido (os tais 60 dias), terá tempo de sobra de voltar à sua lista e procurar algo novo.

Se estiver indecisa entre tamanhos e precisar de uma segunda opinião, pergunte à loja qual a sua política relativamente a trocas e devoluções. Normalmente, as lojas costumam aceitar devoluções se a peça estiver intacta, com a etiqueta e apresentar-se com o talão e meio de pagamento utilizado (na caso de ter pago em cartão). Leve as peças em dois tamanhos, vá para casa e decida. Planeie depois uma ida à loja para devolver o que não precisa.

Se optar por levar um vestido que não lhe fica 100% bem e que depende da sua perda de peso, poderá correr o risco de não ter nada para vestir no dia do casamento, a não ser que tenha mesmo a força de vontade necessária para atingir esse objectivo.

Quinto passo: Limpar e Preparar

Depois de adquiridos todos os items da lista, poderá deixá-los prontos numa divisão da casa menos usada ou simplesmente num armário com menos uso.

Coloque um lembrete no seu telemóvel para levar vestido, casaquinhos e outras peças a limpar e passar a ferro. Poderá fazê-lo em casa, delegar à sua empregada (com instruções muito mas mesmo muito precisas sobre como tratar roupa de cerimónia) ou optar por escolher um serviço externo (convém que seja de confiança).

il_570xN.595154519_fxgt

Sexto passo: Planear o dia

Alguns dias antes, convém que tenha um plano específico a seguir ao pormenor no próprio dia do casamento. Vão de carro? Se sim, podem vestir-se no local do casamento? Vão ter que se vestir em casa? O que é preciso levar? Quem vai?

Comece por estabelecer um plano para o que diz respeito à sua preparação para o casamento: arranjar o cabelo, arranjar as unhas (se puder arranje-as no dia anterior, juntamente com o buço – se necessário – e eventualmente as sobrancelhas), maquilhagem, etc.

No que diz respeito à logística do casamento (viagem de ida e volta, o durante e o depois), planeie as seguintes situações:

-se vai passar a buscar alguém de fora (boleia de ida e volta): Com quanto tempo de antecedência tem de sair de casa? Por onde terá de passar (leve o GPS)?

-se vai ao casamento com crianças: Há alguém para ficar com elas? O que vão comer? A que horas voltam? Aguentam bem a cerimónia (convém levar algumas distracções)?

-se tem alergias ou intolerâncias a algum alimento: Como será a ementa? Existe algum prato específico para celíacos ou para pessoas com intolerâncias alimentares específicas? Coloque estas questões à noiva ou a quem tenha organizado as ementas.

Etc

Findos todos os passos, resta só desejar que corra tudo bem e felicidades aos noivos!

Bom Casamento!

cartoons_1197_casamento

About the Author:

Decidida, perseverante e viciada em desafios, mãe de 3 filhotes e esposa de italiano, a Rita é também, nas horas vagas, licenciada em Línguas e Literaturas Clássicas e Portuguesas, um curso que, indirectamente, a impulsionou a descobrir o mundo, ainda inexplorado, dos dispositivos médicos e da criopreservação de células estaminais, onde exerceu um papel de relevância no apoio logístico. Teve desde cedo o bichinho da organização, com a mania de querer sempre melhorar tudo e encontrar soluções para toda a gente e foi nesses dois âmbitos dos serviços médicos que começou a perceber que havia ali algum padrão reconhecível e caminho a singrar. Acabou a seguir o trilho de Professional Organizer, profissão ainda desconhecida em território português, fez formação nos Estados Unidos e tornou-se numa das POs pioneiras em Portugal, com formação certificada pela NAPO (National Association of Professional Organizers) da qual é também membro. Já andou pelo Consulado de Itália no Porto e pelo ramo imobiliário, mas é na OrganiGuru, a escrever o seu blog de ideias de organização (OrganiBlog) e a ajudar clientes a organizarem-se melhor que a Rita se sente como peixe dentro de água. Perita também na gestão de projectos e pessoal, nos seus tempos livres adora viajar e aprender novas línguas, deixar no perfil do FB as mil e uma ideias que lhe passam pela cabeça, resolver o cubo de Rubik 3x3 (quase) em apneia e aventurar-se pelo mundo da pastelaria, a sua catarse e terapia pessoal, sobretudo se envolver chocolate com 70% de sólidos de cacau. E uma cervejinha artesanal.

Leave A Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.