Abriu a época de caça à praia!

Vamos a la Playa?

Acabaram as aulas, temos a miudagem em casa e dá-se início a Julho. Que para muitas famílias significa: Abriu a época de caça à praia! Para outras significa “sétimo círculo do inferno de Dante”.

Claro que, em muitos casos, são as próprias escolas que acompanham os nossos filhos. Isto porque, para nós pais, as férias não começam na mesma altura e não temos direito a mais de 22 dias por ano.  Isto faz com que se tenham de dar alguns saltos mortais para conseguir manter a miudagem ocupada e feliz durante esse interregno de dois meses que são as férias de verão.

No entanto, para alguns de nós, abre-se a possibilidade de os acompanhar. Porque o nosso trabalho e horário o permitem, porque as nossas circunstâncias, felizmente ou infelizmente, nos dão essa oportunidade.

“Isto de ir à praia com a criançada pode parecer um dos doze trabalhos de Hércules. Se bem que preferia ser atacada pela Hidra de Lerna com as suas nove cabeças.”

Vemo-nos de repente protagonistas de um filme de estratégia militar em que a palavra logística assume o seu pleno significado original.

Engane-se o leitor incauto ao pensar que esta é uma empresa fácil e que tudo se consegue com meia treta. Nada disso. No entanto, com a justa dose de preparação e logística necessárias, essas idas e vindas da praia podem ser verdadeiramente aquilo que são: um passeio e uma diversão.

Então, querem-me colocar algumas perguntas? Vamos a isso!

Beach Bag

Nem sei ainda como começar: o que tenho eu de trazer para a praia?

Somente o essencial, sobretudo se for o único adulto com 2, 3 ou mais crianças. De nada vale trazer uma tonelada de apetrechos, jogos e outros materiais todos xpto. Com toda a probabilidade, só vai estar algumas horas na praia, sobretudo se quisermos respeitar as horas de menos sol.

No entanto, há que ter em conta vários factores, sobretudo quando se vai com crianças: segurança, higiene e alimentação, entre outros.

Fica aqui o meu exemplo de lista:

  • um guarda-sol estável, leve e com base de hélice para montagens mais fáceis;
  • um para-vento igualmente estável e leve;
  • um saco de fecho com os seguintes componentes:
    • toalhas;
    • fatos de banho adicionais;
    • cremes solares;
    • saco de plástico para lixo ou fatos de banho molhados;
    • bolsa com fecho para objectos de valor (tlms, porta-moedas, cubo de Rubik, etc);
    • chapéus (há muitos);
    • 2/3 t-shirts brancas para vestir à miudagem nos momentos de maior calor;
    • óculos de sol;
    • revistinha de palavras cruzadas que nunca vais conseguir fazer porque estás na praia com miúdos.
  • um saco térmico cheio de boas intenções, sandes, fruta, água e sumos que vai ser rapidamente destronado pelas bolas de Berlim;
  • um saco de brinquedos de praia (legos e pin-y-pons com os seus acessórios não são brinquedos de praia!).

E já chega! Lembre-se que se a sua miudagem ainda for pequenitates terá de levar praticamente tudo portanto convém não abusar das quantidades.

Sun Screen Fight Club

Creme solares: ponho antes ou depois quando já estamos na praia?

Pl’amor da Santa ponha antes! Borrife-os dos pés à cabeça com o produto bem antes de saírem. Assim vai dar mais tempo para que o produto não fique a superfície e penetre bem na pele proporcionando a protecção ideal.

“Espalhar creme solar no corpo da miudagem na praia é o equivalente de querer arrumar os brinquedos em plena festa de miudagem. Ou limpar a neve em frente à casa enquanto está a nevar. Ou então uma luta com um crocodilo.”

O que não quer dizer que não tenha que pôr creme enquanto se está na praia, mas é mais um reforço. A esse respeito aqueles cremes em roll on são porreiros e rápidos de utilizar.

Quanto à marca a utilizar, nada tenho a dizer: eu costumo usar marca branca, mas depende muito da preferência e do hábito de cada um. Quanto ao grau de protecção uso sempre o mais alto sem excepção. Nestas coisas de apanhar sol na tromba todo o cuidado é pouco e a prevenção vale tudo. Quanto a ser com spray ou sem spray, deixo também ao vosso critério: lembre-se no entanto que o spray vai para todo o lado menos para o sítio que queremos. Prova disso é o tablier do meu carro.

Palavra de honra.

Beach Time

Mas a que horas deveríamos ir para a praia? De manhã ou de tarde?

Preferencialmente de manhã e sempre o mais cedo possível. Assim evita as horas de maior sol e de maior perigo, vai encontrar estacionamento. Irá também estar menos gente, irá ter mais espaço e mais tempo para gozar bem a praia, sem grandes stresses.

Normalmente opto por estar na praia por volta das 9:30 até às 11:30-12:00. Saio de casa com pouco tempo de antecedência, isto porque moramos relativamente perto da praia a frequentar. Se não for o teu caso, convém sair antes, evitando trânsitos e chatices.

Por esse motivo, acorda a miudagem cedinho e cria rotinas fáceis de seguir com eles: lavar por baixo, vestir o fato de banho, pôr o creme e vestir a roupa, tomar o pequeno-almoço, lavar os dentes, calçar e sair.

“E quanto mais autonomia lhes der e se lhes ensinar a fazer sozinhos, melhor.”

Quanto a ir à praia de tarde, não costumo fazê-lo porque isso implica repetir essa rotina e de tarde. É tudo muito mais difícil, cheio de gente e as temperaturas nem sempre são convidativas. Se tens essa possibilidade, opta por levá-los à piscina, sobretudo depois das 16:00-17:00. Em alternativa, opta pelos jogos, filmes e hora da leitura, sobretudo quando estiver muito calor lá fora. Os mais pequenos poderão até fazer uma hora de sesta. Acontece com toda a naturalidade seja pelo cansaço típico da praia seja porque nessas idades faz parte do seu padrão de sono.

With and Without Kids

Parece-me muito trabalho… Tenho que preparar tudo para sair e não consigo fazer tudo a tempo! Socorro!

Calma! Respira fundo e conta até 10. Agora pensa: quanto mais coisas preparares no dia anterior, menos coisas terás a fazer no próprio dia.

Eis o que podes fazer no dia anterior:

  • o saco da praia com as toalhas, fatos de banho e outros: se deixares as toalhas/fatos de banho a secar no dia anterior ao final da manhã, estarão prontos a dobrar e a enfiar no saco ao final do dia;
  • o mesmo para guarda-sol, para-vento e saco de brinquedos: deixa sempre dentro do carro;
  • deixa as roupas + fato de banho para cada miúdo pronto na casa de banho: se eles forem suficientemente autónomos, basta lembrar-lhes de o fazerem ao final do dia.

E o que podes fazer no próprio dia:

  • acordar, arranjar, tomar o pequeno-almoço;
  • preparar o saco térmico com as comidas e bebidas: se deixares já tudo à mão de semear no dia anterior com as doses certas, é só mesmo “assemblar”;
  • deixar o creme solar perto da porta ou numa casa de banho perto da zona de saída de casa: pouco antes de saírem  besunta-os bem ou lembra-lhes de o fazerem e orienta essa actividade.

Areia a mais

Não é por nada mas não quero a minha casa transformada em deserto do Saahara com a areia que eles vão trazer da praia…

Não desesperes! Também para isto existe uma solução! Neste caso passa por ter algum trabalho adicional mas vais ver que irá valer a pena.

Bastará seguires estes passos:

  • escolhe uma casa de banho perto da zona de entrada/saída;
  • opta por teres uma muda de roupa e toalha por criança, já preparada no dia anterior;
  • prepara os produtos que precisarás para esta operação: gel de banho, champô, amaciador, escova de cabelo, etc;
  • faz uma sequência de “lavagem” – quem vai primeiro, quem vai por segundo – sobretudo para evitar discussões entre os miúdos sobre quem vai primeiro;
  • tenta ao máximo fazer tudo rapidamente e de forma automática – ter tudo à mão ajuda muito;
  • se um dos miúdos puder tomar banho sozinho, aproveita para preparar o saco para o dia a seguir;
  • não deixes que nenhum dos miúdos passe para o resto da casa sem estar pronto: não te preocupes, pouco a pouco irão interiorizar o conceito, sobretudo com recompensa final pela paciência.

Se não tiveres casa de banho, poderás utilizar a garagem ou o corredor para retirar os fatos de banho. Sacode a maior parte da areia que ficará só limitada a esse sítio. Mais tarde convém passá-los por água e usar o champô e amaciador, sobretudo para cabelos compridos.

Anticipation

Há algum truque especial para lidar com isto tudo?

Aqui o truque está na antecipação e ter tudo pronto e as manobras bem interiorizadas. Parte do tempo que se perde têm origem a não sabermos bem o que fazer ou à procura do que precisamos.

“Daí que a palavra de ordem seja mesmo “antecipar”.”

Quanto ao almoço, deixe sempre uma boa panela de sopa pronta no dia anterior. Não há nada melhor para compensar os líquidos que se perderam depois de uma manhã na praia. O segredo é mesmo hidratar e mais uma vez, antecipar. Não tens que preparar nada à última. Se um dos miúdos já estiver pronto e souber pôr a mesa pode fazê-lo enquanto está ainda a acabar os banhos.

Simples e eficaz.

About the Author:

Decidida, perseverante e viciada em desafios, mãe de 3 filhotes e esposa de italiano, a Rita é também, nas horas vagas, licenciada em Línguas e Literaturas Clássicas e Portuguesas, um curso que, indirectamente, a impulsionou a descobrir o mundo, ainda inexplorado, dos dispositivos médicos e da criopreservação de células estaminais, onde exerceu um papel de relevância no apoio logístico. Teve desde cedo o bichinho da organização, com a mania de querer sempre melhorar tudo e encontrar soluções para toda a gente e foi nesses dois âmbitos dos serviços médicos que começou a perceber que havia ali algum padrão reconhecível e caminho a singrar. Acabou a seguir o trilho de Professional Organizer, profissão ainda desconhecida em território português, fez formação nos Estados Unidos e tornou-se numa das POs pioneiras em Portugal, com formação certificada pela NAPO (National Association of Professional Organizers) da qual é também membro. Já andou pelo Consulado de Itália no Porto e pelo ramo imobiliário, mas é na OrganiGuru, a escrever o seu blog de ideias de organização (OrganiBlog) e a ajudar clientes a organizarem-se melhor que a Rita se sente como peixe dentro de água. Perita também na gestão de projectos e pessoal, nos seus tempos livres adora viajar e aprender novas línguas, deixar no perfil do FB as mil e uma ideias que lhe passam pela cabeça, resolver o cubo de Rubik 3x3 (quase) em apneia e aventurar-se pelo mundo da pastelaria, a sua catarse e terapia pessoal, sobretudo se envolver chocolate com 70% de sólidos de cacau. E uma cervejinha artesanal.

Leave A Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.