Quinta com Pinta – Sapateiras

Nesta Quinta temos um pequeno exercício de ginástica mental para vos oferecer. Olhe à sua volta em casa. Focalize a sua atenção nos objectos de todos os dias, mesmo naqueles mais simples e elementares. Agora concentre-se na sua função e tente destacar-se da mesma, começando a estranhar esse mesmo objecto como se o estivéssemos a ver pela primeira vez à nossa frente, como meros convidados na nossa própria casa. De seguida, reflcita sobre novas funções para esse mesmo objecto. Impressionante, não é?

Este tipo de exercícios ajuda-nos a perceber mais funções, usos e finalidades para cada objecto caseiro. Um dos exemplos típicos deste exercício é a função do clip que, incialmente, poderá servir para segurar meia-dúzia de folhas, mas ao destacarmo-nos da sua função, podemos encontrar muitos outros usos, tais como o servir como alfinete temporário para segurar uma bainha das calças, numa situação de “emergência”, fazer o reset das configurações de um telefone, modificando a sua estrutura para uma melhor performance e muitas outras que poderá explorar em casa, até com os seus filhos. Os mais novos são óptimos neste tipo de jogos: estão ainda numa fase de aprendizagem e de assimilação de funções dos objectos, portanto ainda têm uma atitude de destacamento e uma reserva extra de imaginação e criatividade também próprias da idade e que só poucos adultos têm.

Sendo assim, hoje nesta Quinta com Pinta apresento-vos um produto que a grande maioria deve conhecer mas que pode trazer-lhe muito mais do que promete.

Estou a falar das sapateiras, mais precisamente, das TRONES, as famosas sapateiras de plástico de polipropileno da Ikea. Sempre achei que o termo “sapateira” seria um pouco redutor, porque, na verdade, este pequeno produto pode servir para armazenar muita coisa, depende da necessidade. Nas fotografias que acompanham este artigo, proponho-vos alguns destes usos com sapateiras que não estavam a uso e mais 3 que entretanto se compraram, explicando o raciocínio que levou a cada um dos resultados:

DISP

-Dispensa: nesta foto podemos ver que havia um espaço na dispensa por aproveitar e que podia servir para armazenamento. Ao mesmo tempo, era preciso arranjar um espaço na casa para armazenar os produtos e acessórios de limpeza de uma forma prática e de rápido acesso. As sapateiras vieram mesmo a calhar: não só foi possível encaixar as caixas de forma a ficar com dois patamares, como se criou um sistema de fixação de ganchos (não visível na foto), que permite retirar as caixas para limpeza. Claro que não é um sistema a usar se tiver crianças muito pequenas em casa (menos de 3 anos), a não ser que tenha forma de fechar a dispensa ou colocar algum tipo de bloqueio. Na casa em questão, com crianças mais velhas, foi possível implementar esta solução e funciona muito bem!

PIA2

PIA3

-Piano: a mesma casa da primeira fotografia tinha uma sala com dois patamares e escadas como divisão. Visto que na parte de baixo tinha sido colocado um piano, ficava na parte de cima um espaço de sobra com a parte de trás do piano à vista que não só não ficava bonito como expunha demasiado o piano. Ao mesmo tempo era necessário criar um espaço para as crianças poderem fazer desenhos e outros jogos, sendo necessário um sistema para armazenar canetas, folhas e alguns jogos. Mais uma vez, foram colocadas as sapateiras TRONES pretas que tinham a altura ideal para cobrir a parte de trás e foram uma boa solução de armazenamento, tendo-se criado uma agradável zona de estar para as crianças!

Como vê, quando se alia a criatividade ao aspecto prático arranjam-se boa soluções.
Veja em sua casa o que pode transformar e crie novos espaços e novas soluções!

Boa Quinta e Boas criações!

Sobre o Autor:

Decidida, perseverante e viciada em desafios, mãe de 3 filhotes e esposa de italiano, a Rita é também, nas horas vagas, licenciada em Línguas e Literaturas Clássicas e Portuguesas, um curso que, indirectamente, a impulsionou a descobrir o mundo, ainda inexplorado, dos dispositivos médicos e da criopreservação de células estaminais, onde exerceu um papel de relevância no apoio logístico. Teve desde cedo o bichinho da organização, com a mania de querer sempre melhorar tudo e encontrar soluções para toda a gente e foi nesses dois âmbitos dos serviços médicos que começou a perceber que havia ali algum padrão reconhecível e caminho a singrar. Acabou a seguir o trilho de Professional Organizer, profissão ainda desconhecida em território português, fez formação nos Estados Unidos e tornou-se numa das POs pioneiras em Portugal, com formação certificada pela NAPO (National Association of Professional Organizers) da qual é também membro. Já andou pelo Consulado de Itália no Porto e pelo ramo imobiliário, mas é na OrganiGuru, a escrever o seu blog de ideias de organização (OrganiBlog) e a ajudar clientes a organizarem-se melhor que a Rita se sente como peixe dentro de água. Perita também na gestão de projectos e pessoal, nos seus tempos livres adora viajar e aprender novas línguas, deixar no perfil do FB as mil e uma ideias que lhe passam pela cabeça, resolver o cubo de Rubik 3x3 (quase) em apneia e aventurar-se pelo mundo da pastelaria, a sua catarse e terapia pessoal, sobretudo se envolver chocolate com 70% de sólidos de cacau. E uma cervejinha artesanal.

Um Comentário

  1. […] Já viste o nosso artigo sobre o uso alternativo das sapateiras? Vê-o aqui! […]

Deixa o teu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.