Quinta com Pinta – Mapeando ideias

No mundo das ideias, o que não falta é imaginação e criatividade. O que falta por vezes é toda uma logística que apoie as nossas ideias, voláteis e fugazes que só se conseguem aprisionar no papel. Um bloco de notas, uma folha de papel, a parte de trás de um guardanapo, tudo serve para capturar aquele momento de genialidade ou simplesmente criar um lembrete para mais tarde. Mas de que forma?

Hoje em dia não faltam ferramentas que, qual reforço de cavalaria, vêm em nossa ajuda, simplificando, transformando, concretizando e explanando de forma mais evidente tudo o que se passa cá dentro, nos nossos daimona pessoais.

Entre estes destaca-se o Mind Map, uma invenção de Tony Buzan que serve a explanar as suas ideias, conceitos, estruturas ou até tarefas e grupos de pessoas num diagrama em forma de aranha, polvo ou até árvore e que visa gerar, visualizar, estruturar e classificar ideias. Através da materialização dessas ideias, quem os usa pode mais facilmente estudá-las, organizar a informação, resolver problemas e até tomar decisões. Os elementos deste diagrama está organizados de forma intuitiva e por ordem de prioridade ou importância, criando-se grupos cujo elementos se associam pela classificação ou índole. Dessa forma criam-se também ligações entre os grupos de forma semântica e a sua forma radial permite uma aproximação mais parecida com o chamado brainstorm, ou tempestade de ideias, técnica muito usada pela empresas de todo o mundo.

À parte as explicações, deixo-vos com o site do criador do Mind Map e também uma lista de sites que oferecem gratuitamente o uso deste valioso recurso em computador:

  • Site Tony Buzan
  • Site Mindnode (formato para Mac)
  • Site Edrawsoft (formato para Windows)
  • Site Mind Meister (criação de mapas online)
  • Site The Brain (formato para Mac / Windows / Linux)
  • Site Mindomo (criação de mapas online)
  • Boa Quinta e Bons Mapas!

    MMAP

    Sobre o Autor:

    Decidida, perseverante e viciada em desafios, mãe de 3 filhotes e esposa de italiano, a Rita é também, nas horas vagas, licenciada em Línguas e Literaturas Clássicas e Portuguesas, um curso que, indirectamente, a impulsionou a descobrir o mundo, ainda inexplorado, dos dispositivos médicos e da criopreservação de células estaminais, onde exerceu um papel de relevância no apoio logístico. Teve desde cedo o bichinho da organização, com a mania de querer sempre melhorar tudo e encontrar soluções para toda a gente e foi nesses dois âmbitos dos serviços médicos que começou a perceber que havia ali algum padrão reconhecível e caminho a singrar. Acabou a seguir o trilho de Professional Organizer, profissão ainda desconhecida em território português, fez formação nos Estados Unidos e tornou-se numa das POs pioneiras em Portugal, com formação certificada pela NAPO (National Association of Professional Organizers) da qual é também membro. Já andou pelo Consulado de Itália no Porto e pelo ramo imobiliário, mas é na OrganiGuru, a escrever o seu blog de ideias de organização (OrganiBlog) e a ajudar clientes a organizarem-se melhor que a Rita se sente como peixe dentro de água. Perita também na gestão de projectos e pessoal, nos seus tempos livres adora viajar e aprender novas línguas, deixar no perfil do FB as mil e uma ideias que lhe passam pela cabeça, resolver o cubo de Rubik 3x3 (quase) em apneia e aventurar-se pelo mundo da pastelaria, a sua catarse e terapia pessoal, sobretudo se envolver chocolate com 70% de sólidos de cacau. E uma cervejinha artesanal.

    Deixa o teu comentário

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.