Quarta Farta – Pegadas Verdes (2)

Hoje, tal como prometido, iremos falar de mais dois REs da Eco-Organização! Prontos? Vamos a isso:

3. Reutilizar

Antes de deitar fora (leia-se reciclar), pense que outro uso pode dar a um determinado objecto. Caixas de sapatos, embalagens de carne, sacos do supermercado, embalagens de cartão de medicamentos e de electrodomésticos, tudo pode ter uma segunda oportunidade e ainda tem o extra de a ajudar a poupar dinheiro. Pense fora da caixa e invente. Se tem crianças pequenas deixe-as seguir a imaginação e de uma caixa de televisão pode recriar-se um teatro, uma televisão de brincar, uma casinha para bonecas: é a melhor das prendas e uma boa actividade para as férias. Aqui poderá encontrar umas boas ideias para reutilizar materiais.

Veja também este exemplo do que uns pais fizeram com algumas caixas para o próprio filho.

4. Reduzir

Um dos grandes desafios para qualquer família é o gasto de electricidade no dia-a-dia. Somos constantemente relembrados do nosso impacto no ambiente de cada vez que recebemos mais uma factura e, se fizermos atenção aos números que se apresentam à nossa frente, podemos encontrar muito pano para mangas e muitas decisões a tomar para que não só a sua factura seja um bocado mais agradável à vista (apesar de não haver grandes esperanças com as subidas mais recentes nas várias tarifas desde o início do ano), mas também para que o nosso impacto seja cada vez mais pequeno e mais em harmonia com o planeta. Existe uma miríade de soluções pelas quais poderá optar:

-se ainda não o fez já, mude o seu contador para o sistema bi-horário: poderá não ter nenhum impacto efectivo no ambiente directamente, mas a sua facturação será um pouco mais leve com um extra especial – organizando horários de utilização de electrodomésticos temos uma perspectiva mais abrangente sobre o que usamos e uma consciência mais calara de como reduzir gastos desnecessários;

-sempre que possível, deixe desligado da corrente tudo o que não está a uso (torradeiras, microondas e outros pequenos electrodomésticos): se não isso não for possível, desligue no interruptor (impressoras, computadores, televisores, etc);

-desligue sempre a televisão no interruptor e não a deixe nunca em stand-by: faça o mesmo com tudo o que é dispositivo electrónico (amplificadores, aparelhagens, etc);

-substitua todas as suas luzes, sejam eles halogéneas ou incadescentes por luzes economizadoras – as novas lâmpadas LED são mais caras no momento compra mas são extremamente eficazes em termos de consumo (uma lâmpada de 50 W halogénea pode ser substituída por uma LED de 6 W), iluminação e potência e poderá sempre encontrar versões mais baratas do que nas lojas tradicionais em lojas online como o ebay;

-faça uma simulação de uso a todos os seus electrodomésticos e aparelhagens electrónicas e contrate a potência adequada (para quê pagar por uma potência muito alta se não a usa?) – para uma casa com 5 pessoas, por exemplo, poderá contratar uma potência de 4.6 Kw, mas tudo dependerá do número de equipamentos electrónicos que usar;

-eduque os seus filhos mais novos a apagar as luzes sempre que não estiverem a ser utilizadas: um dos grandes “papões” da factura está nas luzes esquecidas pela casa;

-use as máquinas de lavar loiça e roupa só quando estiverem totalmente carregadas e, sempre que possível, use programas de baixo consumo;

-se estiver ao seu alcance e tiver espaço para isso, opte pelas energias alternativas: poderá usar painéis solares para aquecer a água dos banhos, por exemplo, ou optar pela energia eólica para regar o jardim (poderá encontrar algumas soluções interessantes aqui);

-opte sempre por comprar grande electrodomésticos com a eficiência A: é obrigatória por lei a apresentação de etiqueta com a indicação do tipo de eficiência energética em cada grande electrodoméstico com um frigorífico ou uma máquina de lavar loiça.

Muito mais haverá para fazer e mais ainda por dizer, mas na OrganiGuru acreditamos também que lançar “pomos” da discórdia é mais eficaz que debitar informação: reflicta, pense, divulgue e encontre outras soluções para além destas! Eis o nosso desafio!

Para a próxima Quarta Farta falaremos de mais dois REs: Rejeitar e Restaurar! O que tem em mente para estas duas acções?

Boa Quarta e Boas Simulações!

The contours of the green planet on a white background. Within the mechanism of the planet gears.

Sobre o Autor:

Decidida, perseverante e viciada em desafios, mãe de 3 filhotes e esposa de italiano, a Rita é também, nas horas vagas, licenciada em Línguas e Literaturas Clássicas e Portuguesas, um curso que, indirectamente, a impulsionou a descobrir o mundo, ainda inexplorado, dos dispositivos médicos e da criopreservação de células estaminais, onde exerceu um papel de relevância no apoio logístico. Teve desde cedo o bichinho da organização, com a mania de querer sempre melhorar tudo e encontrar soluções para toda a gente e foi nesses dois âmbitos dos serviços médicos que começou a perceber que havia ali algum padrão reconhecível e caminho a singrar. Acabou a seguir o trilho de Professional Organizer, profissão ainda desconhecida em território português, fez formação nos Estados Unidos e tornou-se numa das POs pioneiras em Portugal, com formação certificada pela NAPO (National Association of Professional Organizers) da qual é também membro. Já andou pelo Consulado de Itália no Porto e pelo ramo imobiliário, mas é na OrganiGuru, a escrever o seu blog de ideias de organização (OrganiBlog) e a ajudar clientes a organizarem-se melhor que a Rita se sente como peixe dentro de água. Perita também na gestão de projectos e pessoal, nos seus tempos livres adora viajar e aprender novas línguas, deixar no perfil do FB as mil e uma ideias que lhe passam pela cabeça, resolver o cubo de Rubik 3x3 (quase) em apneia e aventurar-se pelo mundo da pastelaria, a sua catarse e terapia pessoal, sobretudo se envolver chocolate com 70% de sólidos de cacau. E uma cervejinha artesanal.

Deixa o teu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.