Peça à Terça – À Costura das Ideias (2)

(Em colaboração com o Blog Costurartis!)

Com saudades de mais alguns conselhos sobre cantinhos de costura? Nesta terça iremos continuar essa conversa deixada em suspenso devido ao feriado anterior.

Na semana passada falámos sobretudo na configuração do seu espaço de costura, para começar. Hoje iremos concentrar-nos mais em pequenos aspectos, truques e alguns segredos que poderão transformar a sua zona de trabalho num verdadeiro paraíso de cores e texturas.

Caracterize o seu cantinho (Parte I)

1. Arranje no seu cantinho um espaço adicional para livros e tenha sempre uma pasta ou dossier para guardar moldes e tutoriais, bem como um caderninho para anotar medidas, desenhos e ideias que vão surgindo.

100_0447_small

2. Para guardar restos de tecidos por cores ou texturas, use, de preferência, caixas transparentes com etiquetas que possam identificar o tipo de tecido (caixas de tupperwares antigas, limpinhas e devidamente etiquetadas, por exemplo) – o truque está em conseguir distinguir e localizar rapidamente o que precisa. Aqui encontra também uma solução muito prática e baratinha em plástico mais maleável.

2-07-12 Fabric storage

3. Alternativamente às caixas transparentes e se quiser poupar uns trocos, utilize caixas de sapatos com algumas pequenas modificações: corte duas janelas laterais e uma frontal e cubra com papel autocolante dos dois lados ou com outro material aderente (pode fazer o mesmo nas tampas) e assim sempre fica com umas caixinhas muito baratinhas que não deixam de ser práticas.

635169_0_4-9863-contemporary-storage-boxes

4. Inclua no seu espaço estantes com prateleiras baixinhas (aproveite estantes antigas) – desta forma, ao guardar pilhas de tecidos, não correrá o risco de acumular muita coisa junta e transformar a sua pilha numa torre de Babel, condenada a não durar muito e a trazer-lhe contratempos.

img_storagelg_1

5. Separe os seus tecidos por cor, tamanho, uso e tipo – desta forma, será bastante mais fácil encontrar o que precisa.

6. Se tem daquelas bolsas para pendurar sapatos nas portas, aproveite-as para colocar material como tesouras, cortadores de tecido, réguas e esquadros, chaves de fendas (para aparafusar coisas na máquina) e outros materiais que não precisem de ocupar demasiado espaço e possam ser colocados na vertical.

100911_9579

7. Arrume os seus carrinhos de linhas numa caixa com divisórias, como as caixas de ferramentas ou num expositor de parede.

064

DSC01502

8. Materiais como fitas e laços devem separar-se sempre por cores e não necessariamente por tipo de material utilizado (fita de cetim, fita de algodão, etc) e para estes existem inúmeras opções de armazenamento – podem ser guardados em frascos de conservas reciclados ou comprados em lojas como a Ikea, por exemplo, em frascos de bolachas inclinados para melhor acesso, frascos com dispensador de fitas (muito específicos) ou então esta fabulosa ideia!

Ribbon-Jar-5

Ribbon Jars

organize-sewing-supplies_21

organize-sewing-supplies_15

9. Pequenas gavetinhas de secretária (como as que usam nas oficinas para os pregos e parafusos) são óptimas para guardar agulhas, canelas, alfinetes, molas, botões e devem ser etiquetadas de forma simples mas precisa (“botões grandes” em vez de “botões” e “molas de íman” em vez de “molas”).

Vision1215_01

10. As mesas de computador, se suficientemente largas para albergar uma máquina de
costura, podem ser transformar-se em práticas plataformas de trabalho para o seu cantinho – a prateleira do teclado juntamente com usados (ou novos) tabuleiros para materiais de escritório como os da imagem pode ser usada para guardar o que precisa como base para todos os seus projectos (as linhas mais usadas, agulhas, botões mais usados, fita métrica, tesoura, dedal, etc).

263

Soube a pouco? Para a semana temos mais!

Boa Terça e Boas Costuras!

Sobre o Autor:

Decidida, perseverante e viciada em desafios, mãe de 3 filhotes e esposa de italiano, a Rita é também, nas horas vagas, licenciada em Línguas e Literaturas Clássicas e Portuguesas, um curso que, indirectamente, a impulsionou a descobrir o mundo, ainda inexplorado, dos dispositivos médicos e da criopreservação de células estaminais, onde exerceu um papel de relevância no apoio logístico. Teve desde cedo o bichinho da organização, com a mania de querer sempre melhorar tudo e encontrar soluções para toda a gente e foi nesses dois âmbitos dos serviços médicos que começou a perceber que havia ali algum padrão reconhecível e caminho a singrar. Acabou a seguir o trilho de Professional Organizer, profissão ainda desconhecida em território português, fez formação nos Estados Unidos e tornou-se numa das POs pioneiras em Portugal, com formação certificada pela NAPO (National Association of Professional Organizers) da qual é também membro. Já andou pelo Consulado de Itália no Porto e pelo ramo imobiliário, mas é na OrganiGuru, a escrever o seu blog de ideias de organização (OrganiBlog) e a ajudar clientes a organizarem-se melhor que a Rita se sente como peixe dentro de água. Perita também na gestão de projectos e pessoal, nos seus tempos livres adora viajar e aprender novas línguas, deixar no perfil do FB as mil e uma ideias que lhe passam pela cabeça, resolver o cubo de Rubik 3x3 (quase) em apneia e aventurar-se pelo mundo da pastelaria, a sua catarse e terapia pessoal, sobretudo se envolver chocolate com 70% de sólidos de cacau. E uma cervejinha artesanal.

Deixa o teu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.