Sexta em Festa – Festejando a Criançada (5)

Então? Nervosos? É hoje o dia da Festa, não é? Devidamente preparados? Adequada atitude Zen? Calma politicamente correcta? Também me queria parecer que não… O melhor mesmo é seguir a nossa listinha de conselhos para este dia tão especial:

Dia-D

1. Acorde Cedo

Queria estar na caminha no quentinho não é? É fim-de-semana? Sabe que dia é hoje? Ah pois é! Daqui a umas horas vai ter uma espécie de Armagedão com braços e pernas na sua casa e quer ficar mais tempo a dormir? Nada disso! Quantas vezes não ouvimos este discurso na nossa cabeça logo de manhã (juntamente com algumas imprecações e dúvidas existenciais acerca da nossa sanidade mental quando decidimos ter filhos)?

Resumindo e concluindo, tendo muito ou pouco para fazer neste dia, o que será melhor:

-ter muitas horas à sua disposição para ir fazendo o que falta com aquela calma típica das donas de casa perfeitinhas que metem nojo às vizinhas;

-ter uma interessantíssima conversa com o seu travesseiro acerca da relação entre os padrões decorativos da sua mesinha de cabeceira e os músculos torácicos do protagonista da série Spartacus.

Amanhã vai ter tempo e motivos de sobra para descansar. Agora coloque a música Eye of the Tiger (Sim, essa música. Obrigada Ana e Tânia!) no seu leitor de IPod (se não tem um, entre no século XXI e vá comprar um) e andor!

2. Prepare o resto da comida

Para esta tarefa já não precisa de grandes ajudas: siga o plano previamente estipulado, acabe as decorações do bolo, faça a salada, prepare as sandes e faça a escultura do cisne em gelo, tal como tinha previsto. Não esqueça as áreas da sua cozinha (use sinais de trânsito se necessário) e respeite os horários da confecção de cada comida (sobretudo cozinhada).

Faça o possível para acabar tudo o que está relacionado com comidas pelo menos 30 minutos antes da festa começar. Irá utilizar esses últimos 30 minutos para verificar se está tudo pronto, se ainda têm 4 paredes em casa, um tecto e se o seu marido ainda não emigrou para o México.

marks-george-studio-portrait-of-woman-holding-cake

3. Prepare o resto das decorações

Esta é uma tarefa facilmente delegável, com alguma supervisão e muita paciência. Se escolher uma pessoa com queda e tendo em conta que as decorações foam feitas nos dias anteriores à festa, será mais fácil para si: é só pendurar nos sítios certos e cruzar os dedos para que nada caia nos momentos mais inadequados.

Convém também fazer um pequeno breefing com a pessoa designada para certificar-se que ambas estão de acordo sobre o que são “sítios certos”. Por cima da piscina em jeito de liana, escondido no bolo em forma de bombinha de carnaval ou espetado em quadros um tanto ou quanto valiosos pode ser considerado… sei lá… razão de alguns abespinhamentos, na melhor das hipóteses…

Coloured air balloons. 3d render.

Se encontrar isto na casa de banho, alguma coisa correu mal…

4. Escolha as músicas da festa

Embora considere que a música dos Moonspell ou a banda sonora do musical Rocky Horror Picture Show são obra de génio, acho que está na altura de repensar na banda sonora adequada para a festa do seu filhote. Que tal perguntar directamente à razão essencial das suas estrias abdominais? Mais do que qualquer outra pessoa nesta festa, o seu filho saberá exactamente o que quererá ouvir e dar a ouvir aos seus amigos durante a festa.

Desde que não seja a reprodução em loop contínuo de uma daquelas pseudo-músicas para crianças cantadas pelo avatar de um bebé armado em gente com olhos do tamanho de melões e uma overdose de garage band. Isso não. Há limites.

5. Prepare áreas de jogos

Agora basta seguir o plano que estabeleceu há duas semanas atrás. E evitar tropeçar, o que é passível de impropérios pouco adequados para a faixa etária que irá presidir ao evento.

6. Verificar que a miudagem (a sua ou as presentes pré-festa) esteja bem alimentada, lavada e vestida

Esta tarefa não deverá tomar muito do seu tempo, mas é essencial. Se não o fizer ou deixar essa tarefa com alguém sem qualificações para o fazer como o seu marido, por exemplo, poderá acabar com uma ou mais crianças a puxar pelo seu avental feitos zombies a pedir comida e a mexer em tudo o que é tupperware no frigorífico e vestida com trapos e cheiros suspeitos. Gaste 30 minutos no máximo para esta tarefa mas faça-a bem.

7. Início e durante a festa: divirta-se e não pense no estado da casa

Estudos indicam que beber uma cervejinha (só uma… e mini!) ajuda a relaxar e transformar aquilo que será com toda a probabilidade uma visão apocalíptica (ou não…. mas quem é que eu estou a querer enganar?) em qualquer coisa acompanhada da frase “Tá-se bem!”. Desde que os convidados estejam bem (pais e filhos), desde que haja comida e bebida para todos (não incluindo a água da piscina ou do aquário) e que não haja grandes perdas de sangue, a festa está a correr bem e não há razão para não relaxar (pelo menos durante uns segundos, vá…).

emergencyexitplane-1329915330

Saídas de emergência para festas de crianças… não está mal pensado…

Boa Terça e (finalmente) Boa Festa!

Sobre o Autor:

Decidida, perseverante e viciada em desafios, mãe de 3 filhotes e esposa de italiano, a Rita é também, nas horas vagas, licenciada em Línguas e Literaturas Clássicas e Portuguesas, um curso que, indirectamente, a impulsionou a descobrir o mundo, ainda inexplorado, dos dispositivos médicos e da criopreservação de células estaminais, onde exerceu um papel de relevância no apoio logístico. Teve desde cedo o bichinho da organização, com a mania de querer sempre melhorar tudo e encontrar soluções para toda a gente e foi nesses dois âmbitos dos serviços médicos que começou a perceber que havia ali algum padrão reconhecível e caminho a singrar. Acabou a seguir o trilho de Professional Organizer, profissão ainda desconhecida em território português, fez formação nos Estados Unidos e tornou-se numa das POs pioneiras em Portugal, com formação certificada pela NAPO (National Association of Professional Organizers) da qual é também membro. Já andou pelo Consulado de Itália no Porto e pelo ramo imobiliário, mas é na OrganiGuru, a escrever o seu blog de ideias de organização (OrganiBlog) e a ajudar clientes a organizarem-se melhor que a Rita se sente como peixe dentro de água. Perita também na gestão de projectos e pessoal, nos seus tempos livres adora viajar e aprender novas línguas, deixar no perfil do FB as mil e uma ideias que lhe passam pela cabeça, resolver o cubo de Rubik 3x3 (quase) em apneia e aventurar-se pelo mundo da pastelaria, a sua catarse e terapia pessoal, sobretudo se envolver chocolate com 70% de sólidos de cacau. E uma cervejinha artesanal.

Deixa o teu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.