Sexta em Festa – Numa de Casamenteira (1)

Hoje abre oficialmente a época balnear e começa a dança do Verão! Com esta estação, como é de tradição, vêm os baptizados, as comunhões e… os casamentos!

Não há data na nossa vida que marque mais e não há evento que nos faça estar nas luzes da ribalta como este… mas é também o acontecimento que mais stress nos causa!

Por esse motivo a OrganiGuru irá levantar vela e singrar pelos mares à descoberta do caminho logístico para o altar com a dose necessária de planeamento, riso, organização, riso e preparação.

Ah! E riso.

Mês a Mês, Semana a Semana e Dia a Dia, vamos falar de planeamento, o Gato das Botas de qualquer noiva, de convidados, essas criaturas desesperantes que nos fazem acreditar na redenção, as prendas, desde os pot-pourris, passando pelas compotinhas e acabando nas desconsoladoras mini-garrafinhas de vinho do Porto e de muitas outras situações para as quais entramos com um sorriso e saímos a precisar de um exorcista.

Para melhor organizar o tempo que lhe resta para o fatídico passeio até ao altar, proponho que comecemos a nossa viagem exactamente 9 meses antes:

Nove Meses

-Elabore uma pasta com tudo o que é catálogo, notas com ideias, fotografias de vestidos que gostou, com separadores e etiquetas que identifiquem tudo o que diz respeito ao casamento: Contactos, Lista de tarefas, Convidados (com convites, listagens e esquema de mesas, por exemplo), Prendinhas, Vestido, Música (ambiente e de festa), Listas de casamento (se for caso disso), etc. Lembre-se de a manter arrumada e actualizada: retire uns 10 minutos da semana para isso.

Brad-Pitt-Best-Pictures-

A não ser que queira um vestido de noiva na cor da roupa do Brad Pitt, não convém muito guardar esta foto na sua pasta…

-Faça um orçamento do que vai gastar juntamente com ajudas de pais e sogros: é importante ter a oportunidade de escolher com qualidade mas tendo sempre atenção ao que pode dispender. Quanto mais informada estiver acerca do que o mercado tem para oferecer, poderá optar com mais clareza e consciência por uma solução ideal para si.

wedding-budget

-Comece a fazer uma lista de convidados: talvez a parte mais complexa de qualquer casamento, a lista de convidados é um verdadeiro quebra-cabeças que deverá ser iniciado o mais cedo possível – assim sempre tem tempo para reflectir bem e juntar à lista quem quer ter no seu casamento, quem não quer ter no seu casamento mas tem que convidar porque convidou fulano, beltrano e sicrano e toda a horda de familiares dos dois lados que nunca viu na sua vida mas que até ficam bem com a mobília.

b174591128

-Decida se quer ter uma ajuda extra de um organizador de eventos (ou o mais glamoroso mas sobejamente mais saxónico termo wedding planner): algo cada vez mais em voga, um organizador de eventos pode ser muito útil se o casamento é particularmente complicado ou se a sua carreira não lhe permite dedicar o tempo necessário para preparar devidamente o casamento.

Se optar por esta preciosa alavanca, escolha uma pessoa com quem esteja completamente à vontade e que perceba o que você quer mesmo sem abrir a boca: com tanta gente que terá obrigatoriamente de lidar sem hipótese de escolha, haja ao menos, a opção de escolher um “braço direito” que seja a sua ilha deserta no meio de tanto iminente naufrágio.

kkin99l.jpg

Uma palavra só: FUJA!

-Marque uma data para o casamento: parece ser muito cedo para marcar datas mas nunca é, sobretudo se tem de alugar um espaço muito concorrido e passível de provocar as mais pantagruélicas lutas de galinhas é essencial que decidam rapidamente uma data que seja conveniente às pessoas prioritárias – por muito que lhe apeteca, não convém muito escolher uma data que impeça a sua sogra de comparecer, pode ser causa de alguns abespinhamentos.

choosing-wedding-date-landscape460x300

-Fale com o oficiante da cerimónia: seja um casamento religioso ou simplesmente pelo civil, não é muito aconselhável celebrá-lo sem a presença do oficiante, até porque conta umas piadas muito jeitosas e aos Domingos também faz malabarismo. Confirme se há disponibilidade e lembre-se de marcar reunião para combinar e escolher os momentos da cerimónia (no caso de casamento religioso).

mcan522l.jpg

-Realize uma pesquisa para os seguintes contactos prioritários: fotógrafo (caso queira fotografias e video oficial), fornecedor (mais uma vez impõe-se o bretão termo caterer), florista / decoradora e banda (caso queira fazer um casamento com um certo e determinado estilo e um arzinho de rock and roll… mas sem as drogas, claro).

Quanto mais cedo os contactar, mais tempo terá para se habituar à tresloucada dança das opções, escolhas, extras e muitas outras features (lá está o termozinho) que esses profissionais terão para lhe propor até os seus olhos saírem de órbita. Assim quando lhe fizerem chegar aquela toalha cor mamão batido terá tempo de sobra para promover uma acção de formação intitulada “Cor Mamão Batido e Cor Mocassin: definitivamente cores diferentes.”

Shotgun_wedding_by_HyperGoldfish

As coisas não estão a correr muito bem com o seu caterer, pois não?

Por hoje é tudo! Na próxima semana iremos estudar essa interessantíssima e imprevisível espécie que são os convidados de casamento.

Boa Sexta e Boas Danças!

Sobre o Autor:

Decidida, perseverante e viciada em desafios, mãe de 3 filhotes e esposa de italiano, a Rita é também, nas horas vagas, licenciada em Línguas e Literaturas Clássicas e Portuguesas, um curso que, indirectamente, a impulsionou a descobrir o mundo, ainda inexplorado, dos dispositivos médicos e da criopreservação de células estaminais, onde exerceu um papel de relevância no apoio logístico. Teve desde cedo o bichinho da organização, com a mania de querer sempre melhorar tudo e encontrar soluções para toda a gente e foi nesses dois âmbitos dos serviços médicos que começou a perceber que havia ali algum padrão reconhecível e caminho a singrar. Acabou a seguir o trilho de Professional Organizer, profissão ainda desconhecida em território português, fez formação nos Estados Unidos e tornou-se numa das POs pioneiras em Portugal, com formação certificada pela NAPO (National Association of Professional Organizers) da qual é também membro. Já andou pelo Consulado de Itália no Porto e pelo ramo imobiliário, mas é na OrganiGuru, a escrever o seu blog de ideias de organização (OrganiBlog) e a ajudar clientes a organizarem-se melhor que a Rita se sente como peixe dentro de água. Perita também na gestão de projectos e pessoal, nos seus tempos livres adora viajar e aprender novas línguas, deixar no perfil do FB as mil e uma ideias que lhe passam pela cabeça, resolver o cubo de Rubik 3x3 (quase) em apneia e aventurar-se pelo mundo da pastelaria, a sua catarse e terapia pessoal, sobretudo se envolver chocolate com 70% de sólidos de cacau. E uma cervejinha artesanal.

Deixa o teu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.